Mercado de Imóveis Novos da Cidade de São Paulo

27
Maio / 2021

Mercado de Imóveis Novos da Cidade de São Paulo

Os resultados de lançamentos e vendas de imóveis novos na cidade de São Paulo foram positivos no mês de abril, apesar das restrições da fase de transição do Plano SP, que fizeram com que os estandes de vendas permanecessem fechados por mais de 15 dias.

 

De acordo com a Pesquisa do Mercado Imobiliário (PMI), realizada pelo departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP, em abril deste ano foram comercializadas 4.083 unidades residenciais novas na cidade de São Paulo, volume 14,2% inferior às vendas de março (4.761 unidades), mas 112,3% acima das 1.923 unidades vendidas em igual mês de 2020.

 

Os lançamentos totalizaram, no mês, 4.760 unidades residenciais novas, volume 36,1% superior ao apurado em março (3.497 unidades) e 150,3% acima do total de abril de 2020 (1.902 unidades).

 

No acumulado de janeiro a abril, foram lançadas 11.731 unidades, 95,5% acima do registrado no mesmo período de 2020.

 

“Passado mais de um ano desde o início da quarentena em razão da pandemia de Covid-19, o setor imobiliário está mais seguro e tem mantido bom desempenho nas vendas, com aumento dos lançamentos”, destaca Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP.

 

A adoção de novas ferramentas de comercialização de imóveis e a intensificação do uso dos meios digitais, inclusive nos procedimentos de aprovação de projetos e no fechamento de contratos, já são realidade no setor. “O marketing digital, por exemplo, surtiu efeitos impressionantes e, comparado a igual mês de 2020, foram registrados em abril os melhores números da série histórica da pesquisa do mercado imobiliário, iniciada em 2014”, completa Petrucci.

 

Destaques – As unidades que mais se destacaram em abril foram as econômicas, com participação de 64% do total vendido (2.620 unidades). Também lideraram em termos de volume lançado, com 3.475 unidades. A oferta desse tipo de imóvel totalizou 22.908 unidades disponíveis para venda.

 

“Esse tipo de empreendimento vem contribuindo para o bom desempenho do mercado e também foi fundamental para superarmos as dificuldades impostas pela pandemia”, afirma Emilio Kallas, vice-presidente de Incorporação e Terrenos Urbanos do Secovi-SP. “Unidades de 2 dormitórios, com área útil entre 30 m⊃2; e 45 m⊃2; e preços de até R$ 240 mil, mantiveram a liderança já observada anteriormente”, complementa.

 

No segmento de mercado de médio e alto padrão, a pesquisa do mês de abril identificou 1.463 unidades vendidas, 1.285 unidades lançadas e oferta final de 19.528 unidades.

 

“O momento é bastante promissor para quem pretende comprar um imóvel novo. Entre os fatores positivos, estão a oferta de recursos e a manutenção das taxas de juros dos financiamentos imobiliários, apesar da elevação da taxa Selic”, diz Basilio Jafet, presidente do Secovi-SP. “Além disso, os preços dos lançamentos ainda não refletiram os aumentos de custos dos materiais de construção”, acrescenta.

 

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) registrou alta de 13% no acumulado de 12 meses terminados em abril, ficando acima do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), de 6,76% no período. “O resultado demonstra a pressão da matriz de custos dos empreendimentos. Num momento próximo, essa elevação será repassada ao valor final do imóvel, atingindo, inevitavelmente, o comprador”, opina Kallas.

 

Confira a Pesquisa do Mercado Imobiliário do Secovi-SP completa. Ela traz, também, resultados da Região Metropolitana de São Paulo.

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação - Secovi-SP