Mercados (24/04/2017)

24
Abril / 2017

Mercados (24/04/2017)

Imagem da notícia Mercados (24/04/2017)
  • Tanto o dólar quanto os juros futuros abriram a 5ª-feira pressionados, mas recuaram. O dólar fechou cotado a R$ 3,16 (alta de 0,17%);
  • O Ibovespa recuperou-se 0,56%, sem retornar ao nível de 64 mil pontos;
  • Na última semana de abril, destaque para a repercussão dos resultados do 1º turno das eleições na França e debate em torno do projeto da Reforma da Previdência.

Os juros futuros terminaram a 5ª-feira praticamente nos mesmos níveis da 4ª-feira, porém, tivemos oscilações no decorrer do pregão. A indicação do DI Janeiro 2021 bateu a máxima de 9,45% em meados do dia, apesar da surpresa de baixa com a divulgação do IPCA15 de abril (0,21% contra 0,27% das expectativas de consenso do mercado). O mercado reverteu a alta com o resultado mais fraco do que o esperado do emprego formal em março. Segue a cautela com a tramitação da Reforma da Previdência e com a proximidade do 1º turno das eleições presidenciais francesas.

Por dentro do cenário – Em março, de acordo com os dados de admissões e demissões compilados no cadastro do Ministério do Trabalho, as demissões líquidas somaram 63 mil pessoas. O mercado esperava contratações líquidas de 5 mil. Com ajuste sazonal, essas demissões voltaram a se acelerar e para um nível elevado, de 48 mil em fevereiro para 75 mil em março. Na abertura setorial, destaque negativo para a indústria de transformação (-12 mil/mês), construção (-16 mil/mês) e serviços (-13 mil/mês). Em relação aos salários, a razão entre os valores de admitidos e demitidos segue estável em torno de 87,5%.