Economia

00
/ 0000

Economia

Imagem da notícia Economia
  • Os mercados de juros operaram em alta na 3ª-feira. Dólar subiu 0,51%, a R$ 3,17. O Ibovespa caiu 1,27%, aos 64.699 pontos;
  • O mercado monitora o quadro político e aguarda a decisão de juros nos EUA;
  • Na 4ª-feira, o principal evento econômico será a reunião de política monetária do FED.

 

Resumo – Na véspera da reunião periódica de política monetária do Federal Reserve nos Estados Unidos, os mercados apresentaram maior cautela em âmbito global. O amplo consenso do mercado é elevação do intervalo dos juros básicos em mais 0,25 p.p. Além disso, no Brasil, o mercado monitora a possibilidade de atraso na tramitação do projeto da Reforma da Previdência no Congresso, considerando a elevada quantidade de emendas que foram apresentadas até o momento. Isso trouxe oscilações para os juros futuros, dólar e ações.

Nesse contexto, destaque para a alta dos juros embutidos nos contratos futuros com prazos mais longos. A indicação do DI Janeiro 2021 subiu 0,14 p.p. (para 10,07% a.a.). Também pela queda das commodities, o dólar subiu 0,51% contra o real e terminou o dia a 3,17. O desempenho relativo da moeda brasileira foi pior em comparação à nossa amostra. Por fim, o Ibovespa caiu 1,27%.

Por dentro do cenário – Os dados do nível de atividade na China no 1º bimestre de 2017 foram mistos. A produção industrial acelerou o crescimento anual de 6,0% em dezembro de 2016 para 6,3% em fevereiro. Segundo os analistas locais, os dados poderiam ter sido ainda melhores se não fosse pelo inverno mais ameno, que reduz o consumo e a produção de eletricidade. Já as vendas do comércio varejista não foram bem, com o crescimento anual desacelerando de 10,4% para 9,5% no mesmo período de análise da produção. As vendas de automóveis puxaram o resultado para baixo devido à normalização de alíquotas tributárias. Os investimentos em ativos fixos aceleraram de 8,1% para 8,9%. O setor imobiliário mostrou melhora, mesmo com as notícias sobre aperto nas condições do crédito. Com essas informações, o PIB deve continuar mostrando crescimento um pouco acima de 7% no 1º trimestre.